Contexto do Comércio Justo

Como contexto do conceito de Comércio Justo recomendamos complementar a leitura do material com o seguinte texto: “Carta Internacional de Comércio Justo” .

Este documento, desenvolvido e apoiado pelas principais organizações de Comércio Justo, foi lançado em setembro de 2018, com o objetivo principal de estabelecer uma visão conjunta que todo o movimento do Comércio Justo tem e pactua as abordagens do conceito. 

O Comércio Justo surge como reação diante do desequilíbrio que gerou nas últimas décadas, o crescimento do comércio mundial. Dentre isso, destaca-se que, apesar do crescimento das trocas comerciais, os benefícios não têm sido compartilhados de forma equitativa.  

  • Estima-se que a riqueza de 1% mais rico é igual à de todos os outros.  
  • Apenas 8 pessoas (em 2017) possuem tanto quanto a metade mais pobre da população mundial.  
  • Os salários da classe trabalhadora não acompanharam o custo de vida; muitas pessoas dificilmente recebem a renda necessária para sobreviver.   
  • 800 milhões de pessoas ainda sofrem com a pobreza extrema.  
  • Aqueles que conseguiram sair da pobreza extrema estão em uma posição frágil e as crises econômicas, a insegurança alimentar e as mudanças climáticas ameaçam roubar os seus ganhos suados. 

Além disso, os mercados são frequentemente dominados por um punhado de empresas internacionais que têm o poder de estabelecer condições comerciais para seus fornecedores, forçando a que os preços sejam reduzidos, geralmente a níveis abaixo dos custos totais de produção. Isso deixa os pequenos produtores e produtoras, trabalhadores e trabalhadoras em uma situação vulnerável diante da exploração e na necessidade de lutar para ganhar um salário decente. 

O Comércio Justo, portanto, é baseado em modos de produção e comercialização que colocam as pessoas e o planeta à frente dos benefícios econômicos.    

Definição de Comércio Justo 

As principais redes globais do movimento do Comércio Justo concordaram com a seguinte definição de Comércio Justo em 2001:

 “O Comércio Justo é uma aliança comercial baseada no diálogo, na transparência e no respeito que busca maior equidade no comércio internacional. Contribui para o desenvolvimento sustentável ao oferecer melhores condições comerciais e garantindo os direitos dos produtores e trabalhadores marginalizados – especialmente no Sul “.

As Organizações de Comércio Justo, apoiadas por consumidores e consumidoras, estão ativamente engajadas no apoio aos(as) produtores(as), aumentando a conscientização e fazendo campanha por mudanças nas normas e práticas do comércio internacional. 

O movimento do Comércio Justo compartilha a visão de um mundo no qual a justiça, a equidade e o desenvolvimento sustentável estão no centro das estruturas e práticas comerciais para que todas as pessoas, por meio de seu trabalho, possam manter um meio de vida decente e digno e desenvolver todo o seu potencial humano. 

Também citamos a definição dada por Fairtrade International em seu site:

“O Comércio Justo Fairtrade representa uma alternativa ao comércio convencional e é baseado na cooperação entre produtores e consumidores. Fairtrade oferece aos produtores um tratamento mais justo e condições comerciais mais lucrativas. Isso lhes permite melhorar suas condições de vida e fazer planos para o futuro. Para os consumidores, Fairtrade é uma forma eficaz de reduzir a pobreza por meio de suas compras diárias.”      

A seguir, recomendamos assistir ao vídeo que explica a “Teoria da Mudança de Fairtrade”.